About Preferences/Sobre Preferências

allan

Allan


EN/ About Preferences, Part II

Before reading this, please read Part I here!

I started observing the reasons that people who did not like cats because they are: traitorous, selfish, that attack. I never understood that, how can someone not like cats? And worse, if you do not like it, why stay badmouthing? Talking about things you don´t know …

I had already gone through this stage, but it seems that there are people who never leaves that. From the moment I started to have contact with dogs and cats, I could analyze better the dog lovers that dont like cats. Noticed that like me, some had had a bad experience in the past, and others simply could not get to know cats to be able to change it.

When Allan came into our lives I’ve become daily conviviality with a dog in the house. The funny thing is that on the day he arrived, came straight towards me on the couch, leaving behind my sister, his “owner”.

We were lucky, what a sweet and obedient pet! Over time I noticed how much he is easy going, just by saying the word “walking” that he forgets who his family, who gives food, and goes running after that person. And how he is dependent, sticks to your feet, and gets excited how many times you arrive home in the same day.

I started to do a deeper analysis of human behavior, what he hopes and the feelings he directs to animals, especially to man’s best friend. No wonder the slight preference to dogs (which was higher before), the human being has a need to feel required, loved, to have something or someone that depends on it. Something that dogs can provide well, as the man is their leader, respects a hierarchy as if we were superior and they fragile. Dogs sociability really is much warmer, but for me the mystery of cats, with a certain seduction to win trust, is much more attractive.

Humans like this ease of approach of dogs, easy involvement of them to their leader. For this reason dog lovers find cats snobbish and do not confortable with them, just because they do not fall in love at first sight. The independence of cats is very often confused with detachment from the owners, their nature has always been free to explore. But that does not mean that they do not love their owners, they just have a different way of showing it, just as people also have and so some identify more with dogs and other cats with.

Another thing that people often talk about is that cats abandon the owners, which is not true. The truth is that the nature of cats, especially the stray, is they go around the neighborhood, socialize or fight with other cats at night. Many of them come back the next morning or in the middle of the night if the owner keeps a way to get the cat into the house. But nightlife can be dangerous, they can suffer accidents, poisonings and violence from ignorants, and never return home. So it’s important to think about the decision to keep them at home. Another thing that can happen is the cat does not have the basic home care or attention, enough affection and so they begins to attend other houses, and sometimes moves to another house. So think again before saying that they just abandon their owners.

Also please note that cats have a lot of personality, and each has a different personality, some have traumas. So generalizing will not make you an expert in this spicie. If by chance a person has a bad experience with a cat, whatever the reason, it does not mean that all are like that. It will depend on the person opening the mind and / or have the opportunity to live with other cats and learn from the experiences.

Therefore, I believe that people had to be aware that there are issues and differences that they do not understand enough, and they should not opine negatively before getting to know it. It is very unfair to make an animal a villain, whatever the feature you get attached to. It is also very bad to insinuate that people who like cats are weird or that are similar to those bad characteristics that “you” created for them.

If there is something I learned is that we have to learn, to know and have experiences before you think you own the truth. We have to respect the differences and know that there will always have someone who likes what you do not like, some prefer cats to dogs and prefers someone else to “you.” And so we would live happily ever after.

milo

Milo



PT/ Sobre Preferências, Parte II

Antes de esse texto, leia a Parte I aqui!


Comecei a observar as razões que pessoas que não gostavam de gatos por serem: traiçoeiros, interesseiros, que atacam. Eu nunca entendia isso, como pode alguém não gostar de gatos? E pior, se não gostam, por que ficar falando mal? Falar do que não sabe…
Eu já tinha passado por essa fase, mas parece que tem gente que nunca sai dela. À partir do momento que comecei a ter contato com cães e gatos, analisei melhor os apaixonados por cachorros que não suportam gatos. Vii que assim como eu, alguns tinham tido uma experiência ruim no passado, e outros simplesmente não puderam conhecer gatos para mudar isso.

Quando o Allan entrou em nossas vidas eu passei a ter convivio diário com um cachorro dentro de casa. O mais engraçado é que no dia que ele chegou, veio direto na minha direção no sofá, deixando pra trás minha irmã, “dona“ dele.
Nós tivemos muita sorte, que bichinho amável e obediente!  Com o passar do tempo reparei o quanto ele é um maria-vai-com-as-outras, é só falar a palavra “passear” que ele esquece quem é da familia dele, quem dá comida, e vai correndo. E como é dependente, não saí do pé, faz festa quantas vezes você chegar em casa no mesmo dia.

Comecei a fazer uma análise mais profunda do comportamento do ser humano, o que ele espera e os sentimentos que ele direcionada aos bichos, principalmente ao melhor amigo do homem. Não é à toa a ligeira preferência aos cães (que já foi maior), o ser humano tem a necessidade de se sentir requisitado, amado, de ter algo ou alguém que dependa dele. Algo que os cães podem proporcionar muito bem já que o homem é seu líder, respeitam uma hierarquia como se nós fossemos superiores e eles frágeis. Realmente a sociabilidade dos cães é bem mais calorosa, mas pra mim o mistério dos felinos, com uma certa sedução pra conquistar confiança, é bem mais atraente.

O ser humano gosta dessa facilidade de aproximação dos cães, a entrega fácil deles ao seu líder. Por isso os apaixonados por cães acham gatos esnobes e não se sentem bem com eles, somente porque eles não caem de amores à primeira vista. A independência dos gatos é muito confundida com desapego aos donos, a natureza deles sempre foi livre pra explorar. Mas isso não significa que que eles não amem seus donos, eles só tem uma maneira diferente de demonstrar isso, assim como as pessoas tem também e assim umas se identificam mais com cães e outras com gatos.

Outra coisa que as pessoas costumam falar é que os gatos abandonam os donos, o que não é verdade. A verdade é que a natureza dos gatos, principalmente os de rua, é de sairem pelo bairro, socializar ou brigar com outros gatos durante a noite. Muitos deles voltam na manhã seguinte ou na mesma madrugada se o dono manter uma forma do gato entrar em casa. Mas a vida na noite pode ser perigosa, eles podem sofrer acidentes, envenenamentos e violência de ignorantes, e nunca mais voltarem pra casa. Por isso é importante pensar na decisão de mantê-los em casa. Outra coisa que pode acontecer, é o gato não ter os cuidados básicos em casa, nem atenção e carinho o suficiente e assim ele começa a frequentar outras casas, e até se mudar pra outra casa. Então pense melhor antes de falar que eles simplesmente abandonam.

Também vale lembrar que os felinos tem bastante personalidade, e cada um tem uma personalidade diferente, alguns tem traumas. Por isso, generalizar não vai te tornar um conhecedor dessa espécie. Se por acaso uma pessoa tem uma experiência ruim com um gato, seja qual for o motivo, isso não significa que todos são daquele jeito. Vai depender da pessoa abrir a mente e/ou ter oportunidade de conviver com outros gatos e aprender com as experiências.

Por isso, acredito que as pessoas tinham que ter consciência que existem assuntos e diferenças de que eles não entendem o suficiente sobre, e que não deveriam opinar negativamente antes de conhecer. É muito injusto tornar um animal vilão, seja por qual for a característica que você se apegue. Também é muito feio insinuar que pessoas que gostam de gatos são estranhas ou que são parecidas com aquelas caracteristicas ruins que “você” criou pra eles.

Se tem algo que aprendi é que temos que aprender, conhecer e ter experiências antes de se achar dono da verdade. Temos que respeitar as diferenças e saber que sempre terá alguém que gosta do que você não gosta, que prefira gatos a cachorros e que prefira outra pessoa a “você”. E assim viveríamos felizes para sempre.

Advertisements

One thought on “About Preferences/Sobre Preferências

  1. O mesmo acontece com cachorros, tem gente que tem medo de cachorro por que teve uma experiência ruim anteriormente. Uma outra coisa que ocorre também é falar que uma determinada raça é mais brava que outra, como os pitbulls. É injusto e preconceito generalizar.

    Eu mesmo sempre tive medo de gatos por causa de uma história na minha família de um gato que matou uma mulher.

    Hoje, que eu moro com um gato há mais de 1 ano, eu vejo que se houver respeito mútuo e nós humanos conseguirmos prover uma estrutura básica para ele, como passeios, comida, brincadeiras, carinho, etc etc, eles vão nos respeitar e assim poderemos viver no mesmo ambiente sem problem nenhum.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s